quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Mineroduto não passará em Santo Eduardo

Jornal Monitor Campista conclui em reportagem que o Mineroduto não passará em Santo Eduardo.

Clique aqui e comprove a matéria no Jornal Monitor Campista

Pico da mão-de-obra em 2010
Empregos atuais são apenas 300
DIVULGAÇÃOO MINERODUTO Minas-Rio atravessará os municípios de Porciúncula, Natividade, Itaperuna e Bom Jesus de Itabapoana, no Noroeste do Estado, e Cardoso Moreira e Campos, na região Norte Fluminense

Liliane Barreto

Este ano, a obra do mineroduto Minas-Rio estará concentrada na fase de terraplenagem do trecho 3, que compreende os municípios do Rio de Janeiro, e da Estação de Bombas 2 (EB2), no município de Santo Antônio do Grama, em Minas Gerais. A informação é da assessoria de imprensa da Anglo Ferrous Minas-Rio, responsável pela obra. A empresa confirmou que a obra do mineroduto prevê a contratação de até 6 mil pessoas mas isso acontecerá no pico das obras, previsto para meados de 2010 e que deve durar um ano e, não, emprega atualmente 6,8 mil conforme foi anunciado pelo presidente do sindicato dos trabalhadores da construção civil, José Eulálio.

De acordo com a assessoria, vários canteiros pequenos estão localizados ao longo do trecho e o canteiro central do Rio de Janeiro é da cidade de Itaperuna, o maior instalado no Estado. “Ao longo de toda a obra, o maior canteiro está localizado no município de Ponte Nova, em Minas Gerais”, informou. O investimento total será de cerca de U$S 3 bilhões e terá capacidade de transportar 26,6 milhões de toneladas de minério de ferro, por ano, a partir de 2011 ou início de 2012.

O projeto, que está em fase de licenciamento ambiental e obras, contempla mina e unidade de beneficiamento em Conceição do Mato Dentro e Alvorada de Minas (MG). O mineroduto de 525 quilômetros que percorre 32 municípios de Minas Gerais e Rio de Janeiro, até chegar ao porto do Açu, em São João da Barra.

Em dezembro de 2008, a empresa obteve a Licença Prévia (LP) para a área da mina e da planta de beneficiamento, localizadas em Conceição do Mato Dentro e Alvorada de Minas. A LP foi concedida junto ao Conselho de Política Ambiental (Copam). O porto obteve a Licença de Instalação (LI) em 2007, concedida pela antiga Fundação Estadual de Engenharia de Meio Ambiente (Feema) e está em obras. O mineroduto obteve a LI em junho de 2008 junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e também iniciou as obras em setembro deste ano.

No ano passado, a Anglo contratou com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) um empréstimo no montante de R$ 2,3 bilhões para os equipamentos da mina e do mineroduto. “O ritmo da obra depende das licenças a serem obtidas pela empresa, como a Autorização de Supressão Vegetal (ASV), concedida junto ao Ibama”.

A empresa informou, ainda, que no trecho do Rio de Janeiro, estão trabalhando em torno de 150 pessoas e no trecho de Minas Gerais, outras 150 pessoas nos trabalhos de engenharia e execução das obras da EB2. A LLX Minas-Rio, empresa responsável pelas obras do terminal de minério do Porto do Açu, tem a composição acionária da seguinte maneira: 49% Anglo Ferrous Brazil e 51% LLX Logística.

O Mineroduto Minas-Rio atravessará os municípios de Porciúncula, Natividade, Itaperuna e Bom Jesus de Itabapoana, no Noroeste do Estado, e Cardoso Moreira e Campos, na região Norte Fluminense, até o porto marítimo e futuras instalações de beneficiamento, localizados em São João da Barra. A construção é independente da LLX, subsidiária da MMX, responsável pela obra do complexo logístico do Açu, que inclui o porto.

Mineroduto não tem canteiro em Santo Eduardo
O fotógrafo e morador de Santo Eduardo, Lenilson Werneck, estranhou a notícia de que houvesse obra do mineroduto no distrito.

“Lugar pequeno você sabe como é: todo mundo sabe de tudo e não fiquei sabendo de nada sobre essa obra do mineroduto. Se tivesse alguma coisa, haveria comentário. Outra coisa que não estou entendendo é o percurso da obra que, para passar em Santo Eduardo, teria que ir quase na divisa do Espírito Santo”, questionou Werneck, que também tem um blog (http://lwerneck.blogspot.com)

A foto publicada, na edição de ontem, que seria do mineroduto, na verdade, é da Hidrelétrica Pedra do Garrafão, no distrito de Santo Eduardo.


Obs: não fiz mais do que a minha obrigação. Estamos atentos!

Um comentário:

Anônimo disse...

Ai leitores do blog de Lenilson,a intervenção dele com a reportagem sobre MINERODUTO fez com que a noticia dada pelo jornal campista fosse corrigida.Meus parabens LENILSON pela sua habilidade e conhecimento em lidar com as noticias que nem sempre retratam a verdade.Toda essa sua cultura se deve ao bom senso em publicar aquilo que realmente é verdade. Deve ser esse nome que vc tem...rsrsrs.