quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Nahim concede entrevista coletiva na Câmara: Quem não deve não teme

matéria extraída do site Ururau.


O presidente da Câmara Municipal de Campos (CMCG), Nelson Nahim, concedeu uma entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (26/11), na Câmara Municipal, onde se pronunciou sobre a onda de boatos que dão conta de que pessoas públicas estariam envolvidas em um esquema de pedofilia no município.

Acompanhado dos vereadores Gil Vianna, Albertinho e Altamir Bárbara, Nahim disse que alguns “bloguistas”, de forma velada, estão se aproveitando disso e fazendo comentários envolvendo membros da Câmara Municipal, chamado-os de sanguessugas e pedófilos.

Presente na coletiva também estavam familiares do presidente da Câmara.

O presidente solicitou que, se houver algo envolvendo o seu nome, que ele quer ser comunicado e assim ouvido, já que até o momento ele não foi informado sobre nada, não foi citado e nem foi convocado para nenhum depoimento sobre o assunto. “A pedofilia é uma coisa medonha, eu sou pai, sou avô e sou a favor que se apure tudo”, disparou

Nelson afirmou não ter tido acesso ao inquérito que apuraria, segundo ele, inclusive morte de crianças. “Se é sigilo da Justiça, como as pessoas sabem dessas coisas e eu não sei? Estou a partir de hoje constituindo advogados para que possam ouvir a Polícia Civil e o Ministério Público para saber se meu nome realmente está envolvido”, disse.

Segundo Nahim uma série de motivos poderiam estar levando seu nome a ter sido usado. “Sou pré-candidato a deputado, estou bem nas pesquisas. Não vou abrir mão disso e nem mesmo de ser presidente da Câmara. Sou cunhado da prefeita Rosinha. Há alguém querendo me prejudicar politicamente nessa Casa de Lei. Só peço que eu possa ser ouvido tendo meu direito de defesa”, afirmou o presidente.

ESTELIONATÁRIO PODERIA ESTAR USANDO O SEU NOME

Nahim anunciou que determinada pessoa da cidade, que inclusive seria conhecida, teria o costume de usar seu nome em diversas situações para tirar vantagem.

-- Há alguém que costumeiramente passa-se por mim e não foi uma só vez. Vou encaminhar toda documentação para a polícia que vai investigar. Em determinado momento quase nos agredimos por conta disso. Ele é um cidadão conhecido e que tem semelhança comigo. Tenho provas e pessoas para testemunhar. Ele está sendo processado por se passar por uma pessoa que ele não tem a menor condição de ser--, disparou o presidente da Câmara.

Sobre a possibilidade ser feita politicagem neste caso disse: “Não quero nem imaginar que por política queiram fazer isso”.

Nos últimos dias, Nahim deixou a cidade de Campos, e por conta disso também houveram especulações. “Tenho um problema de coluna e fui tratar no Rio. Falaram que fugi de Campos porque seria preso. Por quê? Minha família foi a primeira a saber, pois quem não deve não teme”, finalizou.

INQUÉRITO NO MINISTÉRIO PÚBLICO

Conforme publicamos nesta quarta-feira (25/11), a reportagem do URURAU foi recebida pelo promotor Leandro Manhães, que está a frente das investigações que apuram a suspeita da existência de uma rede de pedofilia em Campos.

De forma breve, o Promotor disse que as investigações estão em curso, mas que não é possível revelar nenhum tipo de dado, até para preservar os nomes de pessoas citadas, que posteriormente podem provar sua inocência. O promotor também não revelou se há políticos envolvidos no caso.

“Existe um inquérito aqui no Ministério Público, que apura um caso de pedofilia. É sigiloso e não podemos dar maiores detalhes. Estamos aprofundando as investigações, inclusive, tomando todos os cuidados, como o sigilo total”, declarou Leandro Manhães ao URURAU e aos apresentadores do programa “De olho na Cidade”, que também foram ao MP em busca de informações sobre o caso.

Ao ser perguntado sobre o tempo para o resultado das apurações, o promotor apenas lembrou que o calendário da Justiça em 2009 se encerra dia 19 de dezembro.

..........................................
Ururau

Nenhum comentário: