quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Associação Comercial de Campos doa equipamento de telefonia para a Policia Militar visando identificar os trotes

A partir de agora, a pessoa que passar trote para o 190 do 8ª Batalhão da Policia Militar, corre o risco de ser responsabilizado criminalmente , conforme prevê o artigo 266 do Código Penal, que estabelece detenção de 1 a 3 anos e multa.  Este é o primeiro equipamento a ser instalado no interior do Estado do Rio de Janeiro  com tecnologia de ponta. Toda as ligações para o 190 poderão ser acompanhada em tempo real do gabinete do comandante.
A doação do equipamento tecnológico, que identifica as chamadas e grava a conversa por até 90 dias,  foi feita pelo presidente da Associação Comercial e Industrial de Campos – ACIC- , Amaro Ribeiro Gomes e empresários do município. O investimento foi de R$ 8mil.
De acordo com o coronel do 8 ª BPM, Gilmar Barros Reis, esse equipamento permitirá a policia identificar em tempo real de onde está sendo feita a ligação e identificar os trotes. Ele exemplificou  que só ontem, dia 5, foram registradas 1.134 ligações e só do número de telefone final 2766, foi identificada seis ligações, o que caracterizou trote feito por uma criança.
Com esses dados gravados, o policial teve condições de ligar para a casa dessa criança, e avisar ao responsável que o filho estava passando trote e que este ato, é crime e poderia resultar em detenção e multa.  O coronel Gilmar disse ainda, que no momento estamos em fase de conscientização, educar as pessoas a não cometer este delito. Mas no futuro, essa gravação será enviada para O Ministério Público, que terá o poder de responsabilizar criminalmente a família.
O comandante Gilmar destacou que em média o 8ª BPM registra cerca de 40% de suas ligações como trotes, atrapalhando o andamento do trabalho da polícia, e agora este sistema ajudará a combater este tipo de procedimento, permitindo assim, o desperdício do dinheiro público e  responsabilizando as pessoas por essa “ brincadeira de mal gosto”. Comentou.
O presidente do Conselho Comunitário de Segurança, Amaro Ribeiro Gomes, destacou que a idéia da doação do equipamento surgiu durante as reuniãos do Conselho com a Associações de Moradores e dos café comunitários organizados pelo Batalhão, onde a maioria das reclamações da população estava relacionada a dificuldade de se falar com o 190, que não atendia às necessidades da população.  “ Preocupado com essa situação, mobilizamos alguns empresários campistas, que decidiram se unir e comprar o equipamento. Entendemos que a segurança  é um dever de todos, e que só a sociedade unida com os órgãos competentes poderá reveter este quadro. Se cada uma fizer a sua parte, poderemos ter uma qualidade de vida melhor”, destacou.
“Esse é apenas um passo. Nós enquanto sociedade civil organizada podemos contribuir muito mais para a nossa segurança, mas para isto é preciso que a população participe e acredita que pode haver mudanças”. Também estamos enviando ofício para aos órgãos superiores solicitando a permanência dos novos policiais que se formam em Campos a continuarem na região, pois a população está crescendo com os investimentos do Porto do Açu e, acabam refletindo na falta de segurança, finalizou.

Por e-mail: Jo Siqueira

Nenhum comentário: