segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Conheça a doença do Ronaldo Fenômeno



Reprodução do Site Vida Saudável:


Médicos contestam Ronaldo e dizem que é possível levar uma Vida Saudável . Confira o que três endocrinologistas e um médico do esporte dizem sobre o assunto


"Há quatros no Milan eu descobri que sofria de um distúrbio que se chama hipotireoidismo, um distúrbio que desacelera o metabolismo e que para controlar esse distúrbio eu teria que tomar remédios que no futebol são considerados doping". 

Essa foi uma das frases na despedida de futebol de Ronaldo Fenômemo. O Vida Saudável procurou três endocrinologistas e um médico do esporte para opinarem sobre o caso. Os médicos contestam que o hipotireoidismo pode ter sido um dos motivos para a aposentadoria do jogador.
"Na maioria dos casos, o diagnóstico é precoce. Basta fazer uma dosagem de TSH, que é um procedimento quase de rotina", Perseu Carvalho
De acordo com o endocrinologista Albermar Roberts, o hipotireoidismo é uma doença crônica e incurável, onde a glândula tireoidiana produz os hormônios responsáveis por todas as transformações do nosso organismo, que chamamos de metabolismo.

"Quem tem a doença vai ter prejuízo nessas transformações. Pode ter sonolência aumentada, as atividades metabólicas são retardadas. Mas o diagnóstico é fácil, feito com exame de sangue. A medicação é o próprio hormônio tireoidiano. A má noticia é que o indivíduo vai tomar isso pelo resto da vida. Mas ninguém engorda mais por isso. A vida é absolutamente normal", reforça Albermar Roberts.



Emocionado, Ronaldo revela hipotireoidismo e dá adeus ao futebol

Enquanto a doença não é diagnosticada, a pessoa pode reter líquidos. "O paciente pode se sentir cansado, indisposto, pode ter aumento de peso não por gordura, mas por retenção de líquidos. Mas, na maioria dos casos, o diagnóstico é precoce. Basta fazer uma dosagem de TSH, que é um procedimento quase de rotina", explica o professor aposentado da Ufes e endocrinologista Perseu Seixas de Carvalho.

Seixas salienta que isso não justifica a saída de Ronaldo. "Deve ser algo a mais que ele está levando em consideração. Mas, do ponto de vista médico, não justifica. É uma doença  completamente tratável. Ela pode aparecer em qualquer idade. Na maioria das vezes a pessoa adquire na vida adulta", diz.

A endocrinologista Rachel Torres ressalta que o medicamento para tratar a doença não é considerado doping. "Quem tem deficiência comprovada, é vital que use hormônio. É igual quem é diabetes e não tem insulina e precisa usar insulina. Agora quem não é diabético, e usar insulina, aí sim é considerado doping porque é um hormônio anabólico. O hormônio da tireoide aumenta o metabolismo. Ele pode até ser pego no doping, mas para quem não tem deficiência. Quem tem a doença é garantido poder usar o medicamento e não será considerado doping. É vital para a vida dele porque ele pode desencadear outros problemas, como pressão alta e colesterol alto".

O médico da Medicina Esportiva José Carlos Gomes diz ser papo furado de Ronaldo. "É só avisar ao Comitê Antidoping! O medicamento pode ser usado desde que não signifique vantagem para ele em relação aos outros jogadores. Ele falou bastante besteira. Temos o Washinton do Fluminese que é cardioapata, diabético. Tem que avisar previamente e comprovar com atestado médico", orienta.

O que é

Segundo a endocrinologista Rachel Torres, o hipotireoidismo é o mal funcionamento da glândula tireoide, que é como se fosse uma bateria do nosso corpo. "Se ela está com deficiência na produção de hormônio, ao repor na condição adequada, a pessoa tem vida normal. Não impede quem tem a doença de desenvolver qualquer atividade, desde que seja controlado", afirma a médica.

Causas

Para o endocrinologista Perseu Seixas de Carvalho, várias coisas podem fazer uma pessoa ter a doença. Inclusive procedimentos médicos, como uma cirurgia na tireoide ou uso de algum medicamento. "A causa mais comum no adulto é hipotireoidismo autoimune. Doença em que o sistema imunológico produz anticorpos que vão destruindo progressivamente o tecido tireoidiano".

Tratamento 
Os médicos entrevistados foram unânimes em responder: o tratamento consiste simplesmente na reposição do hormônio tireoidiano, via oral. "É a coisa mais fácil que tem e a pessoa fica absolutamente normal. Não engorda e o metabolismo volta a funcionar normalmente. Isso não justifica de modo algum ele (Ronaldo) está abandonando o futebol. Ele tem outros motivos, provavelmente", defende Perseu Seixas.

Prevenção

"É difícil prevenir porque é uma doença autoimune. É uma doença que você nem nota quando o distúrbio começa", diz Perseu Seixas.

Sintomas 

Segundo Seixas, depende muito do grau que a doença alcança. "Hoje é praticamente assintomática. A pessoa pode se sentir cansada, indisposta, também pode ter aumento de peso; não por gordura, mas por retenção de líquido. Na maioria dos casos, o diagnóstico é precoce. Basta fazer uma dosagem de TSH, que é um procedimento quase que de rotina", explica.

Nenhum comentário: