terça-feira, 5 de abril de 2011

Dilma diz que prioridades da Defesa são proteger o pré-sal e as fronteiras

Presidente fez seu primeiro discurso a militares em evento no Palácio do Planalto


A presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira (5) que a proteção das reservas de petróleo do pré-sal e das fronteiras da Amazônia é prioridade na estratégia de defesa nacional.

- As riquezas do pré-sal, descobertas nas profundezas do Atlântico, que impõem um novo estágio para as forças de defesa, a garantia efetiva da soberania nacional pela proteção das nossas fronteiras, tanto no oceano como também na Amazônia, se transformaram na prioridade da nossa estratégia de defesa.

Dilma participou hoje da condecoração de militares no Palácio do Planalto, em Brasília.

A presidente defendeu o investimento em modernização das Forças Armadas e considerou um "grande engano" a "tentação" de classificar tais gastos como "esforço ocioso".

- Um Brasil plenamente desenvolvido precisará de Forças Armadas equipadas, treinadas, modernas para o cumprimento de suas funções.

O evento de hoje foi o primeiro em que Dilma discursou diretamente a militares depois de sua posse.

- A defesa não pode ser considerada elemento menor da agenda nacional.

O governo anunciou um corte R$ 50 bilhões no Orçamento de 2011 em fevereiro, e o Ministério da Defesa foi um dos mais afetados pelo contingenciamento. A pasta perdeu R$ 4,4 bilhões, 26,5% do Orçamento total.

Devido ao corte, a compra dos 36 caças para a FAB (Força Aérea Brasileira), um dos principais pontos da agenda da defesa brasileira, não deverá ocorrer neste ano. O custo estimado do projeto é de R$ 12 bilhões.



R7 / Reuters

Nenhum comentário: