terça-feira, 5 de julho de 2011

Professores municipais de Campos fazem manifestação por melhorias

Eles reivindicam direitos trabalhistas e afirmam que promessas em diálogo entre o sindicato da categoria e o Governo não estão sendo cumpridas.


Professores da rede municipal em Campos fazem uma manifestação na Praça São Salvador, no Centro da cidade, nesta tarde. Eles fazem reivindicações de direitos trabalhistas e afirmam que promessas em diálogo entre o sindicato da categoria e o Governo não estão sendo cumpridas.


A presidente do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) – Núcleo Campos, Graciete Santana, afirmou em entrevista à repórter Narayanna Borges que os profissionais da educação do município paralisaram as atividades somente nesta quarta-feira (05) e que já nesta quinta-feira (06) as atividades vão ser normalizadas. Mas ela não descartou a possibilidade de greve da categoria no mês de agosto.


“O Governo sempre recebeu o Sepe para dialogar, mas ultimamente as conversas não têm efeito. A categoria está cansada de esperar por promessas”, disse a presidente.


As reivindicações são:


• Convocação dos concursados 2008


• Eleição diretas para diretores de escolas


• Repasse do Fundeb como valorização profissional


• Reajuste salarial de 30%


• Revisão no Plano de Cargos e Salários


• Revogação do decreto 305/2011


Ainda de acordo com Graciete Santana o decreto 305/2011 tira os direitos dos trabalhadores em caso de afastamento.


No RJ InterTv 1ª Edição desta quarta-feira (05) a secretária de Educação de Campos, Joilza Rangel, disse que o salário do município de Campos é um dos maiores do estado do Rio e que as condições de trabalho dos professores melhoraram.

Professores da rede municipal em Campos fazem uma manifestação na Praça São Salvador, no Centro da cidade, nesta tarde. Eles fazem reivindicações de direitos trabalhistas e afirmam que promessas em diálogo entre o sindicato da categoria e o Governo não estão sendo cumpridas.

in360


2 comentários:

Anônimo disse...

Respeito e idolatro os professores,mas muitos tambem não tem respeito nenhum com alunos,ou empregadores.
Que aja o bom senso.

Anônimo disse...

Anônimo das 9:06,
a nossa luta como categoria se dá no sentido de melhorias salariais, melhores condições de trabalho, bem como outras pendências (FUNDEB, decreto que impedem as licenças médicas, plano de cargos e salários, concursos para funcionários dos serviços escolares, chamada já dos concursados de 2008, etc). Se algum profissional descumpre o seu papel, desrespeita alunose/ou outros profissionais, há de se verificar por que de tais atitudes.
Nós primamos para que a educação contribua para a formação de cidadãos e cidadãs cumpridores dos seus deveres mas conscientes dos seus direitos!
Denuncie em instâncias pertinentes tais atos que você presenciou.
Quanto ao nosso ato foi um sucesso, com uma participação significativa da categoria e para agosto deliberamos greve de três dias, com mais manifestações.
É evidente que se a prefeita Rosinha nos receber e se comprometer a cumprir com a nossa pauta, a greve não será necessária.
A educação foi para a rua por falta de diálogo com a prefeita!!!
A secretária Joilza e o secretário Fábio nos recebe, dialoga, mas quem dá a "canetada" é a prfeita.
Abraços,
Norma (Menbro da direção SEPE/Campos)