quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Escrevendo a história


Ser campeão requer um número X de pontos e só. Nos pontos corridos, onde a emoção é homeopática, é bem comum você ter um campeão sem uma grande história pra contar. Não me deixa mentir o São Paulo, no melhor estilo Imperatriz Leopoldinense da década de 90, onde ganhava e ninguém lembrava.
Nos pontos corridos, basta “errar pouco”. E aí mora a burrice, pois no futebol o importante é acertar mais, ousar mais, brilhar mais. É isso que garante uma grande história pra contar. E é isso que não sugere os pontos corridos.
Como sempre digo, campeão ganha do vice. E se não ganha, não é um grande campeão.
Fazer história neste tipo de campeonato é um tanto quanto complicado. Sem “o jogo”, “o gol”, “o gol do titulo”, a historia fica pobre.
Mas eis que surge um candidato a mudar tudo isso em 2011. Não por ser dono de um futebol espetacular, pois não é. Mas por ser candidato a protagonista de uma história sem precedentes.
Campeão da Copa do Brasil que joga o Brasileirão levando a sério. Algo raro, incomum, coisa de gente grande.
Time que, com vaga na Libertadores, segue pensando em título e não faz uso do discurso nojento de “pensar no ano que vem”, como se a Libertadores anulasse o Brasileirão.
Time de um zagueiro diferente. Time de um volante diferente. Time que ressuscita um craque no meio, que resgata seu passado recente com Felipe e Juninho.
Time em paz com a torcida, se livrando de uma imagem nojenta que carregou por anos e anos através de seu ex-presidente.
O Vasco odiado por todo país vai virando, aos poucos, o Vasco rival de todos. E só.
Do técnico rejeitado que virou celebridade. Do técnico que, em campo, em imagem forte e que marcará a história do futebol, sofreu um AVC e quase nos deixou.
Da campanha que atingiu rivais e vascaínos, unidos na corrente pela vida de Ricardo.
Da desconfiança do time “sem comando” as vitórias que o colocaram na liderança.
Do interino que segue a linha do professor, que nem sabe se volta a trabalhar.
De todas as histórias possíveis de um campeão em 2011, nenhuma é tão rica quanto a do Vasco.
Faltam algumas rodadas, a liderança hoje não diz nada. Mas se há uma história pra ser contada neste brasileirão até aqui, é a do Vasco.
E se essa história será ” a historia do campeão” ou não, só tempo dirá.
abs,
Blog do RicaPerrone 

7 comentários:

anderson disse...

AINDA FALTA DUAS COSITAS MAS PARA 2011 FICAR PERFETO,UNA E O FLAMENGO NÃO CLASSIFICAR PARA LIBERTADORES,OUTRA AI SIM CLASSIFICAAR BOTA E FLU,SERIA UM FINAL DE ANO MAGICO .

Walace disse...

Texto Magnífico, emocionante.

André disse...

Vasco da Gamaaaaaaaa...
Amor E Glória ao time da cruz de malta

justiceiro disse...

PQP vcs ficam mais uma década sem comemorar nada só vices e agora estão se achando? iremos levantar o caneco em cima de vcs na ultima rodada. o BONDE vai voltar sem freio

Blog do L. Werneck disse...

"Justiceiro"
Vai chorar na cama que é lugar quente!
Vai voltar sem freio e vai descarrilar, kkkkkkkkkk

THIAGO_R10 disse...

fala ai andre ta sumido pow
este dias tive com uns colegas nosso do tempo da padre mello e sempre perguntam por vc. trabalho no colégio que sua prima léticia estuda la em campos. abrção se tiver msn add ai th1ago_r10@hotmail.com
léo desculpe por usar este espaço para entrar em contato com andré mas é pq não tenho mais orkut e estudamos juntos e a muito tempo não vejo ele vlw

ASDE disse...

Realmente o texto é mt bonito, porém discordo do jornalista q o escreveu no sentido de criticar os pontos corridos, pois é nesse tipo de disputa q verdadeiramente o melhor time ganha. Tomara q esse ano o campeão seja o Vasco.