segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Terminal Sul do Porto do Açu vai revitalizar malha ferroviária

A ser instalado no entorno do canal onshore do Superporto do Açu, onde serão feitas as atividades de apoio às embarcações, o Terminal Sul esteve em evidência essa semana, quando foi apresentado e discutido o Estudo de Impacto Ambiental (Rima) para licenciamento do projeto, em audiências públicas promovidas pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) em São João da Barra e Campos. A previsão é que as obras do terminal — que terá cerca de 550 hectares — sejam realizadas em 38 meses, com geração de quase 5.400 empregos durante a construção. Entre os projetos que podem ser implantados no Terminal Sul é a concretização da parceria da Fer-rovia Centro-Atlântica (FCA) com a LLX, que já realiza estudos técnicos para levantar a viabilidade da construção de uma ferrovia que poderá ligar o Superporto do Açu à região de Ambaí, no município de Nova Iguaçu. Há estimativas de que, em uma primeira fase, a ferrovia do Norte Fluminense poderia ter contratos de carga de 15 milhões de toneladas por ano.


O Terminal Sul do complexo Portuário do Açu será destinado à importação e exportação de produtos como carvão, calcário, siderúrgicos, granitos e automóveis e contará com área para armazenagem de derivados de petróleo, fabricação e montagem de máquinas e equipamentos marítimos pa-ra a produção e exploração de petróleo e gás.
O terminal envolve grandes vantagens às atividades de suporte, facilitando as operações e, ainda, toda infra-estrutura de um condomínio industrial, oferecendo à empresa do setor que se instalar no local benefícios de menores custos logísticos. No local serão utilizados equipamentos portuários co-mo guindastes de carregamento e descarregamento (shiploaders e shipunloaders), guindastes porta-contêineres (portainers), guindastes para descarregamento de granéis sólidos co-mo o carvão (slab cranes), pontes rolantes, empilhadeiras e carregadeiras.

Quebra-mar — Em abril, o Conselho de Administração da LLX, empresa de logística do Gru-po EBX e responsável pela construção do Porto do Açu, aprovou a construção por R$ 918 milhões do quebra-mar do Terminal Sul, pela Acciona Infraestruturas S.A. O acordo tripartite foi firmado entre a LLX e a OSX.

Investimentos — No total, serão investidos R$ 3,4 bilhões no complexo do Superporto do Açu e o início da operação está previsto para o final de 2012.


Mineroduto também pode beneficiar o transporte


Outra forma de transporte de produtos que beneficiará o Porto do Açu é o mineroduto.  Com a missão de ligar operações de extração de minério em Minas Gerais ao Porto do Açu, em São João da Barra, o projeto Minas-Rio apresenta mais da metade da estrutura física (engenharia, suprimentos e obras) pronta, com o primeiro embarque previsto para o segundo semestre de 2013 e a abertura da mina para 2012. O empreendimento, cuja implantação consumirá, ao to-do, US$ 5 bilhões, tem 9,5 mil trabalhadores envolvidos nas obras, entre Minas Gerais e Rio de Janeiro.

O Superporto do Açu é um complexo portuário privativo de uso misto, com dois terminais — um offshore e outro onshore — em construção em São João da Barra, próximo à área responsável por 85% da produção de petróleo e gás do Brasil, sendo o maior investimento em infra-estrutura por-tuária da América Latina.

Folha da Manhã

Nenhum comentário: