quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Bebê de quatro meses morre carbozinado em incêndio em Campos

Foto: campos24horas

Uma tragédia abalou moradores do Parque Esplanada no início da tarde desta quarta-feira. Um bebê, de apenas quatro meses, morreu carbonizado, por volta das 12h, após incêndio que ainda não teve a causa identificada. Outras quatro crianças, que também estavam na casa, conseguiram sair antes de serem atingidas. Os menores estavam sozinhos na residência, localizada na rua Valter Sales.

O resultado da perícia deve sair nos próximos dias. Há suspeita que o incêndio fosse causado por um curto-circuito, onde três ventiladores estavam ligados no quarto, onde o acidente aconteceu. O incêndio foi controlado por moradores antes mesmo do Corpo de Bombeiros chegar ao local.

Na hora do incêndio, o pai das crianças, Bruno da Conceição, estava trabalhando num petshop, no bairro. Já a mãe, que estava na casa da avó das crianças, próximo ao local, chegou à casa quando o fogo ainda se propagava e pediu socorro aos vizinhos para salvar o bebê. Mas quando populares conseguiram controlar o fogo, a criança já estava morta, numa das duas camas atingidas pelas chamas. A mãe chegou a passar mal e teve que ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada para o Hospital Ferreira Machado (HFM). O pai chegou momentos depois, teve que tomar calmantes e foi amparado por familiares, moradores de casa em frente ao acidente. Os parentes estavam muito nervosos e preferiram não dar entrevistas.

De acordo com a vizinha, que preferiu não se identificar, o incêndio aconteceu muito rápido e ninguém estava na rua no momento do acidente. O acidente aconteceu Moradores ficaram assustados quando as quatro crianças, uma menina de cinco anos, que sofre Síndrome de Down e outra de um; um menino de quatro e outro de dois, saíram gritando e chorando com fogo que se alastrava na casa. “Todos nós saímos desesperados para ajudar. Chegamos a ouvir as crianças chorarem, mas não ficamos alarmados, pois era de costume isso acontecer nesse horário. Quando vimos que as crianças estavam na rua, pensamos que todos estavam salvos. Somente quando a mãe chegou ao local gritando e chorando muito que ficamos sabendo que o bebê também estava no interior da casa. A família morava há quase dois anos na rua. Foi uma fatalidade. Estamos muito tristes”, relatou a vizinha.

Matéria do Folha da Manhã

Nenhum comentário: