terça-feira, 5 de junho de 2012

Rosinha estaria repetindo a mesma estratégia de 2008, ou corre o risco de estar inelegível?


As vésperas das eleições, a população de Campos amanheceu com uma nova declaração da atual prefeita do município, Rosinha Garotinho, informando que estaria cansada de perseguições e que não estaria disposta a concorrer à reeleição. Apesar da declaração da prefeita parecer, inicialmente, uma definição pessoal, lembranças das últimas eleições demonstram a possibilidade de estratégia eleitoral. Outro fator de peso e que pode ser considerado também, é que Rosinha responde ainda a um processo que ainda não foi julgado, o que a deixaria inelegível caso não seja julgado e a prefeita absolvida até o dia 05 de julho, data dos registros oficiais para as candidaturas.
De acordo com a matéria publicada pelo o jornal O Diário hoje (05/06), "durante reunião na noite de domingo (3), que terminou na madrugada de ontem, em sua residência, a prefeita de Campos, Rosinha Garotinho (PR), comunicou ao seu marido – presidente do partido no Estado - Anthony Garotinho, que não virá candidata à reeleição”.
Rosinha teria alegado que, embora feliz com o trabalho que realiza na administração de Campos, entende que já cumpriu sua missão. A prefeita teria ressaltado ainda, que pretende, quando encerrar o mandato, voltar suas energias para a família e o trabalho que já desenvolve com crianças na sua igreja (Presbiteriana), o que levanta possibilidades também, de adiamento da convenção do PR, marcada para o próximo dia 17.
Vale lembrar que no ano de 2008 a Prefeita Rosinha utilizou da mesma estratégia para ser a candidata do grupo, ou seja, estava cansada, sem estímulo e com um desejo enorme de cuidar apenas da família, mas depois dos pseudos ‘reclamos populares’ aceitou. Uma coisa tipo “diga ao povo que fico”. Com isso, Rosinha Garotinho foi eleita em 25 de outubro de 2008, com 135.955 votos (54,47% dos votos válidos), contra 113.638 (45,53%) de Arnaldo Vianna. Parece que a estratégia de fazer “doce”  deu certo. Então por que não repetir, não é mesmo? Afinal o povo nem deve lembrar.
Para o especialista em Direito Eleitoral, Paulo Vizela, tudo não passa de uma desculpa. “Não tem essa história de desistência. A prefeita está inelegível. Não poderia ser candidata”, afirma Vizela. Em março deste ano ele afirmou ao jornal Folha da Manhã: “Onde está a liberação da Rosinha na AIME? a condenação dela no TRE-RJ depende de um AI que se encontra com o Ministro Marcelo Ribeiro para decisão e conta com parecer contrário da PGE. Da AIJE o Dr. Arnaldo está livre, e é mais fácil comprovar, pois o processo se encontra arquivado em Campos na 100ªZE”, disse Vizela.

Nenhum comentário: