terça-feira, 18 de setembro de 2012

Bancários de todo o país entram em greve; em 2011, paralisação durou 21 dias


A partir desta terça-feira (18), bancários de todo o país entram em greve por tempo indeterminado. A paralisação inclui tanto bancos públicos quanto privados, segundo informou Juvandia Moreira, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região. No ano passado, a categoria ficou em greve por 21 dias.

A paralisação foi aprovada nas assembleias realizadas na última quarta-feira (12) pelos mais de 130 sindicatos representados pelo Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro).

Clientes de bancos que forem a uma agência bancária poderão encontrar funcionando apenas os caixas eletrônicos. Porém, o sindicato afirma que, em geral, no primeiro dia de greve, a adesão dos trabalhadores pode não ser muito grande.

"A greve começa nesta terça nos principais corredores [locais com grande concentração de bancos, tais como o centro de São Paulo e a avenida Paulista] e depois vai atingindo e ampliando para um maior número de agências e também pegando as concentrações bancárias", disse Juvandia, em entrevista coletiva em São Paulo. "Os caixas eletrônicos vão funcionar. O cliente que for à agência vai ter o caixa eletrônico disponível. Mas não vai ter atendimento ao público".

Reivindicações
Os bancários reivindicam reajuste salarial de 10,25%, com 5% de aumento real, além de plano de cargos, carreira e salários, maior participação nos lucros e resultados (PLR) e mais segurança nas agências. A proposta oferecida pela Fenaban foi 6% de reajuste salarial (0,58% de aumento real).

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) não se pronunciou sobre a greve, mas alertou a população de que muitas das operações bancárias poderão ser realizadas por meio dos caixas eletrônicos, internet banking, telefone e correspondentes bancários, tais como casas lotéricas, agências dos Correios e outros estabelecimentos credenciados.

Há quase 500 mil bancários em todo o Brasil, sendo 138 mil na base do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região. A expectativa do sindicato é que a greve desse ano possa mobilizar mais do que os 42 mil bancários que entraram em greve no ano passado em São Paulo e na região metropolitana.

Nenhum comentário: