terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Nascimento de quadrigêmeos muda rotina do Hospital Público de Macaé



    Quem quiser ajudar com doações pode ligar para 
    (22) 9832-5485 ou 9847-7125


A rotina do Hospital Público em Macaé (HPM) foi alterada nesta manhã de segunda-feira (07/01). A auxiliar de serviços gerais, Cleusa Maria da Silva, 35 anos, deu a luz a quadrigêmeos: três meninas e um menino. Os bebês estão no Serviço de Tratamento Intensivo (STI) e , a menina, Vitória, é o bebê que necessita de mais cuidados, pois nasceu com 755 gramas. Os pais moram na Nova Esperança e já estão recebendo diversas doações.
Quem quiser ajudar, entrar em contato pelos telefones: (22)9832-5485 ou 9847-7125.
A gravidez múltipla é frequente, surgindo normalmente uma em cada 80. A grande maioria dos casos é uma gravidez dupla, já que a gestação de mais do que dois fetos é menos frequente. A gravidez tripla, na qual são gerados três fetos e o consequente nascimento de trigémeos, ocorre numa em cada 8.000 mulheres grávidas. A gravidez quádrupla, ou quadrigémeos, ocorre numa em cada 750.000 mulheres grávidas, enquanto a gravidez quíntupla, ou de cinco gémeos, apenas ocorre numa em cada 65.000.000, sendo a gravidez sêxtupla ou séptupla bastante raras.

A gravidez múltipla é provocada pela libertação de dois óvulos no mesmo ciclo, por sua vez fecundados por dois espermatozóides diferentes, provenientes da mesma ejaculação ou de duas ejaculações diferentes durante o período fértil. Assim sendo, formam-se dois zigotos que se transformam em embriões, sendo cada um deles implantado de forma independente no útero, dispondo igualmente de uma placenta e da sua própria bolsa de águas. Esta situação proporciona uma gravidez biovular, originando o desenvolvimento de dois gémeos dizigóticos ou bivitelinos, igualmente denominados gémeos fraternos. Cada um deles possui uma constituição genética diferente, o que faz com que tanto possam ter o mesmo sexo ou diferente, enquanto que o seu aspecto físico será semelhante ao de dois irmãos nascidos em gestações diferentes.
A união de apenas um óvulo e de um único espermatozóide origina um zigoto que se começa a dividir, até que, pouco depois, na fase de segmentação, se fragmenta em duas porções, originando-se em cada parte um embrião. Dado que esta divisão costuma ocorrer antes da nidificação no útero, os embriões dividem uma única placenta e a mesma bolsa de águas. Este caso, denominado gravidez uniovular, consiste no desenvolvimento de dois gémeos monozigóticos ou univitelinos, igualmente denominados gémeos idênticos, já que ambos têm a mesma constituição genética, são sempre do mesmo sexo e a sua semelhança física é praticamente absoluta.
Quando a gravidez provoca o desenvolvimento de mais de dois fetos, tanto pode ocorrer um dos dois mecanismos citados como ambos de uma vez. Por exemplo, uma gravidez tripla pode originar gémeos monozigóticos (três gémeos idênticos), dizigóticos (dois gémeos idênticos e um fraterno, do mesmo ou de diferente sexo) ou, muito mais raramente, trizigóticos (três gémeos fraternos, do mesmo ou de diferente sexo e com um aspecto semelhante ao de três irmãos nascidos de gestações diferentes).

Nenhum comentário: