quarta-feira, 22 de maio de 2013

'Forbes' aponta Dilma Rousseff como a 2ª mulher mais poderosa do mundo


Presidente brasileira ficou atrás apenas da chanceler alemã Angela Merkel.
Ranking anual da revista 'Forbes' foi divulgado nesta quarta (22).

Dilma Rousseff discursa durante inauguração de navio em Suape (Foto: Katherine Coutinho / G1)
Dilma Rousseff discursa durante inauguração de navio em Suape nesta segunda-feira (20) (Foto: Katherine Coutinho / G1)
A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, é a segunda mulher mais poderosa do mundo, atrás apenas da chanceler alemã Angela Merkel, segundo o ranking anual da revista 'Forbes'.
Dilma, que ficou na terceira posição por dois anos consecutivos, alcançou o segundo lugar após a saída de Hillary Clinton do posto de secretária de Estado americano, o que fez a ex-primeira dama dos Estados Unidos cair para o quinto lugar. A lista deste ano foi divulgada pela revista nesta quarta-feira (22).
Outra brasileira aparece entre as 20 primeiras da lista da revista americana: a presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, no 18º lugar.
A chanceler alemã Angela Merkel lidera a lista da revista pelo terceiro ano consecutivo.
Depois da presidente brasileira aparecem Melinda Gates - que preside ao lado do marido a Bill and Melinda Gates Foundation -, e a primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama.
A presidente argentina Cristina Kirchner caiu 10 posições na lista e aparece na 26ª posição.
Sobre Dilma, a Forbes ressalta que a presidente, com sua "ênfase no empresariado" tem inspirado "uma nova geração de empreendimentos", apesar de muitos a criticarem por "favorecer políticas de desenvolvimento acima das preocupações humanitárias".
Na metade de seu mandato, Dilma Rousseff tem "a tarefa de levar o país adiante após dois anos com as taxas de crescimento mais lentas em mais de uma década".
Dilma, primeira mulher presidente do Brasil, ocupava o 95º lugar no ranking da revista há três anos.
A lista anual inclui mulheres influentes na política, negócios, imprensa, entretenimento, tecnologia e organizações sem fins lucrativos, classificadas por "fortuna, presença na mídia e impacto", segundo a revista.
"A ascensão de marcas pessoais e o esforço de empreendedorismo na lista deste ano de mulheres poderosas são tendências excitantes quando celebramos o 10º ano de publicação da lista", disse Moira Forbes, presidente e editora da ForbesWoman.
"De Cingapura a Arábia Saudita, do Reino Unido aos Estado Unidos - e além -, as 100 mulheres mais influentes em nossa lista têm um impacto indelével e duradouro no mundo em que vivemos", completou.
Merkel foi considerada a mulher mais poderosa em oito dos 10 anos da lista.
Entre as empresárias da lista estão a CEO da Hewlett-Packard Meg Whitman (No. 15) - que está na capa da revista -, assim como uma das principais diretoras do Facebook, Sheryl Sandberg (No. 6), e a CEO do Yahoo! Marissa Mayer (No. 32).
A lista da Forbes conta com representantes de 26 nacionalidades, mas com um claro domínio americano.
A mais jovem do ranking continua sendo a cantora americana Lady Gaga (27 anos, 45ª) e a mais velha a rainha Elizabeth II da Inglaterra (87 anos, 40ª).

G1

Nenhum comentário: