quinta-feira, 30 de outubro de 2014

100 mil aposentados podem perder benefício

Mais de cem mil aposentados, pensionistas e segurados do INSS no Rio correm risco de ter o pagamento de seus benefícios interrompido a partir do ano que vem. Esse grupo ainda não fez a prova de vida para renovar a senha bancária, usada para receber os valores creditados pela Previdência. Em todo o país, cerca de 1,4 milhão de beneficiários ainda não atualizaram os dados. Todos têm até o próximo 31 de dezembro para fazer o procedimento nas agências bancárias.

Os números foram atualizados este mês pelo INSS. De acordo com os dados divulgados ontem, no Rio 101.947 segurados podem vir a ter problemas, enquanto 1.399.811 estão na mesma situação em todo o país. Até agosto, só no Estado do Rio, 166.466 segurados não tinham feito o recadastramento. Na época, no país, o contingente passava de 2,1 milhões.

Para evitar ficar sem pagamento, os aposentados e pensionistas do INSS deve ir à agência em que recebem o benefício. É preciso apresentar documento de identificação com foto, que pode ser a carteira de identidade, a de trabalho, a de habilitação, entre outros.

No começo deste ano, o INSS optou por prorrogar o prazo da prova de vida que terminaria inicialmente em 28 de fevereiro. Na ocasião, 4,7 milhões de beneficiários não tinham feito o recadastramento. Questionado ontem pelo DIA sobre nova possibilidade de prorrogação de prazo, o INSS informou que não há hipótese de estender a data.

Ontem, mais uma vez o Supremo Tribunal Federal suspendeu o julgamento da ação da desaposentação. A ministra Rosa Weber pediu vistas do processo. Não há data para a retomada do julgamento.

Antes da suspensão, os ministros Dias Toffoli e Teori Zavascki votaram pela impossibilidade dos aposentados que continuam trabalhando pedirem um novo benefício, considerando as contribuições previdenciárias feitas após a concessão do benefício. O relator do , ministro Marco Aurélio, votou pelo reconhecimento do direito dos aposentados.

_________________
 O Dia / Campos 24 Horas

Nenhum comentário: