quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Santa Maria mostra que é possível fazer festa sem contar com a prefeitura de Campos.

O amigo Mayko Julião me enviou algumas fotos e um relato sobre o Carnaval realizado em Santa Maria de Campos. Independentemente de qualquer coisa, uma é certa, o fato de uma população não abaixar a cabeça e se unir para um propósito é a verdadeira mensagem que ficará para toda nossa região. Sim é possível nós nos unirmos num único propósito, seja ele qual for, porque quando o povo quer, ninguém segura!

Parabéns Santa Maria!

Veja o relato de Mayko sobre tudo que aconteceu:
Praça do Sol, lotada de foliões curtindo os blocos.

Alegria, irreverência: diversão garantida para todos.


O Carnaval do Povo!


Um grupo de moradores pegou no batente e garantiu a diversão de todos. Foi na vontade, credibilidade e acolhimento da população que Santa Maria teve o melhor carnaval dos últimos 5, talvez 10 anos.
Santa Maria  a muito tempo não recebia tantos foliões. Estima-se que o pequeno distrito recebeu aproximadamente 20 mil pessoas, em 5 dias de diversão e muita paz. Não há nenhum registro de incidentes, o povo foi as ruas para se divertir, e fez com que o clima contagiasse os visitantes.
Nos 5 dias, houveram 5 shows , 2 djs e alguns blocos sem qualquer apoio da prefeitura, que se omitiu em ajudar o carnaval que existe há décadas.
A rua ficou cheia de barracas de bebidas e comidas, garantindo opções aos visitantes.

Primeiramente gostaríamos de agradecer a Deus por podermos realizar este evento para todos vocês: santamarienses, comerciantes e amigos de Santa Maria.
Gostaríamos de deixar bem claro que vocês só estiveram pelas ruas, comemorando e brincando o carnaval conosco, graças a vocês próprios.
O Carnaval de 2015 em Santa Maria existe exclusivamente por mérito de todos vocês. Sem vocês seria impossível festejarmos esta data. À cada contribuição, independente do valor, o nosso muito obrigado! A cada comerciante que contribuiu, idem! Aos amigos de Santa Maria que de longe ajudaram e os que nos visitam, valeu pela força!
A festa não é minha, do Jorginho, da Mariazinha, do Joãozinho, de ninguém... e sim vocês. De nada adiantaria ideias se estas ideias não fossem alavancadas pelo o apoio de vocês. Cada centavo doado está aqui investido.
O nosso carnaval é tradição, sendo reconhecidamente como um dos mais antigos do Estado. São décadas e décadas de historias e memórias que até hoje estremecem os corações dos mais antigos.
Ele nasceu sem a ajuda da Prefeitura... nasceu, sim, das mãos e boa vontade de nossos antepassados. E hoje o Carnaval santamariense renasceu, sem a ajuda dos “mandatários do poder”. É o povo. É você, você e você! O que parecia impossível não é mais, virou realidade.
Que o carnaval de 2015 em Santa Maria traga boas lições para a vida de todos. E que também sirva de reflexão, pois tudo é possível quando toda comunidade se mobiliza.
E LEMBREM-SE: Juntos podemos. O carnaval é meu, é seu, é nosso!
Obrigado a todos pelo voto de confiança.

12 comentários:

Anônimo disse...

PLAC PLAC PLAC

Inacreditável o que esse homem fez!

Esta de parabens

Anônimo disse...

Parabens a Sta Maria e o patriotismo desse rapaz.

Anônimo disse...

Maykon so temos a agradecer. Obrigado!

Anônimo disse...

Parabéns, Maykon! Você é o cara que num futuro bem próximo poderá mudar o rumo de Santa Maria para patamares cada vez melhores.. Só depende dos santamarienses, apoiarem sempre em conjunto aos benefícios que você sempre está disposto a produzir em Santa Maria... Sucesso, amigo.

francisco dos santos disse...

Muito bom, parabéns aos organizadores.

Anônimo disse...

Sensacional!

Um tapa na cara da Rosinha.

Eleição sta chegando...

Avelino Ferreira disse...

Caro Werneck,
As comunidades devem fazer o que Santa Maria fez. Principalmente no que tange ao Carnaval, uma festa popular. O que não entendo é a referência ao poder público, como se antes, fosse uma obrigação da Prefeitura patrocinar a festa.
Carnaval é festa do povo. Sempre foi organizado pelo povo. Seus ranchos, cordões, blocos, seus bailes nos clubes… enfim, é uma festa popular. No chamado desfile oficial das escolas e blocos (depois, também, os bois pintadinhos, que viraram “bois de samba”) a Prefeitura auxiliava com a estrutura e alguma ajuda financeira. Mais tarde essa ajuda passou a ser uma subvenção, como é hoje.
No caso de Santa Maria, o Carnaval era uma grande festa quando a agricultura rendia frutos e o comércio, surgido para dar suporte ao movimento na estação de trem, fervilhava. A partir da década de 1970, a agricultura foi abandonada porque a necessidade de consumo aumentou e atividade não rendia o suficiente para sustentar essa exigência da atualidade. A Usina Santa Maria faleceu, assim como, antes, os trens. O Carnaval perdeu seu brilho.
Com a resistência do comércio e o encurtamento das distâncias entre as cidades, os moradores passaram a trabalhar em Campos e outros lugares próximos e na década de 1990, o movimento central e o Carnaval tiveram um apelo maior. No final daquela década, a Prefeitura passou a dar toda infra-estrutura, incluindo shows nacionais, tanto na festa da padroeira como no Carnaval. A comunidade acostumou-se a depender do poder público e cada vez exige mais nas festas.
Critica o poder público pela realização de shows e pede (exige) cada vez mais… shows. E a Prefeitura deu tudo até o ano passado, mesmo com a reclamação dos moradores que desejam sempre mais… shows. Agora, a Prefeitura, pelo que vejo, não cedeu estrutura nem shows. A comunidade mostrou que é possível realizar uma festa popular sem ajuda de terceiros. Nada mais justo, porque o Carnaval, por exemplo, é uma festa eminentemente popular. Parabéns ao povo de Santa Maria! Só não entendo críticas ao poder público por não dar dinheiro para o Carnaval feitas por moradores de Santa Maria, Santo Eduardo, Morro do Coco e outras localidades.
Lembro o que todos sabem, todas as comunidades (muitas centenas delas, incluindo distritos, localidades, bairros) pedem shows e estrutura para suas festas. Santo Eduardo, por exemplo, vizinho a Santa Maria, tem uma história similar, de exigências e, mesmo atendidas, reclamações. O correto é uma festa popular ser promovida e organizada pela população. O poder público deve incentivar, fomentar, e apoiar. Não patrocinar, como desejam os moradores das localidades.
Reconheço que o show, a festa, une a comunidade, de tal maneira que ela é capaz de fazer protestos pelo pouco apoio ou nenhum apoio financeiro. Não dispendem o mesmo esforço para uma creche, uma escola, um posto de saúde (sei que em Santa Maria tem tudo isso, mas é apenas para registrar que as comunidades se unem para exigir o que criticam, quando é dado).
Grande abraço!

L Werneck Santo Eduardo disse...

O problema é esse mesmo Avelino, ficamos acostumados a apenas esperar pela prefeitura para que ela tome sempre a iniciativa em tudo. Mas, como você mesmo disse, a própria prefeitura, independentemente do prefeito(a) que esteja exercendo o cargo é que criou no povo este vício, pelo menos, é o que temos observado nestes últimos 20 anos.
Na minha opinião, foi melhor mesmo a prefeitura não participar de nada, pois mostrou que o nosso povo, pelo menos, por enquanto, o de Santa Maria, quando quiser, vai poder bancar uma festa simples, porém digna, como sempre foi no passado.
Agora tem uma coisa: não dá pra entender, nem tampouco aceitar que de uma hora para outra, toda uma região fique deixada de lado, em muitos aspectos, inclusive, no tocante à área cultural, como neste verão aconteceu. Santo Eduardo, por exemplo, no ano passado, desde o Reveillon até o Carnaval houve cerca de 28 shows, no projeto
Verão da Família. E o que aconteceu neste ano de 2015? Nenhum show, nada! Deixando todos os comerciantes, dos mais diversos segmentos, a ver navios!
Ou seja, moral da história - não precisamos de tanta coisa de uma vez só, agora, de repente, nos tirarem tudo abruptamente, com a desculpa que faltam recursos para tais projetos serem mantidos? Ora bolas, não cola mesmo.
E no Farol, Travessão e Lagoa de Cima, por que a farra com o dinheiro público continuou? Será que foi apenas por questões estratégicas, por interesses eleitoreiros que a prefeita Rosinha e Patrícia Cordeiro mantiveram o mesmo nível de sempre nestas localidades?
Nossa gente está cansada de tanto descaso, nossa região está cada dia mais decepcionada com nossa classe política, pois não temos praticamente vereadores que nos representam, não temos secretários que nos ouçam e prefeitos que nos tratem com igualdade de condições com os demais cantos do município. É triste e preocupante nosso destino... Quem sabe não chegou a hora de darmos um basta a tanto desprezo por nossa gente? Santa Maria deu o recado, espero que não seja apenas para assuntos de festa.

Anônimo disse...

Obrigado Cebola por garantir nossa diversão!

Antonio Souza disse...

Boa resposta amigo Lenilson, concordo com você.
O povo tem que usar essa união para cobrar seus direitos também.
O povo de Santa Maria está de parabéns.

Anônimo disse...

Seria excelente q uníssemos em prol de outras melhorias.

Mas ai o buraco é mais em baixo. Massante maioria depende direta ou indiretamente da prefeitura pra algo.

Posto de Saúde largado, sumiu 235 mil reais!!!!! Quadra de esportes abandonada a aprox. 10 anos. Vila Olímpica parada. Buracos e mais buracos pelas ruas. Falta quebra molas. E etc...e etc.

Infelizmente dependemos de uma prefeitura omissa.


Anônimo disse...

n~~ao podemos deixar de agradecer a segurança, pois vi todos os dias policia militar presente na praça do sol...