terça-feira, 4 de agosto de 2015

Há 99 anos nascia o advogado, jornalista e Governador Celso Peçanha


Celso Peçanha completa 99 anos

Mário Sérgio Junior
Fotos: Reprodução e Michelle Richa 


Neste domingo (2), o ex-governador do Rio Celso Peçanha comemorou 99 anos. Natural de Campos, mais precisamente do distrito de Santo Eduardo, Celso é sobrinho de Nilo Peçanha e atuou como advogado, jornalista, professor, além de traçar caminho na política brasileira. Atualmente, Celso mora na cidade do Rio de Janeiro.

A amiga do ex-governador, Jociléia Ribeiro, lembra de como conheceu a personalidade. Ela contou que conheceu Celso em Brasília, quando ele chegou como deputado estadual. “Cheguei a morar no mesmo apartamento que ele e sua esposa por quase sete meses e desde então nunca perdi contato com a família. Meus pais também sempre conviveram com Celso Peçanha”, comentou.

No ano de 1938, Celso ingressou na Faculdade de Direito de Niterói e no ano seguinte foi eleito vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE). Já em 1941 foi nomeado prefeito de Bom Jardim pelo interventor fluminense Ernani do Amaral Peixoto, exercendo o cargo até 1943.

Jociléia descreveu Celso como uma pessoa exemplar. “Celso é um homem digno, um político exemplar, um ótimo marido para Hilka, um ótimo pai e avô. Uma pessoa importante para nossa história campista” disse.

Na trajetória política de Celso, além de prefeito de Bom Jardim, chegou a administrar o município de Rio Bonito por três vezes. Foi eleito deputado federal pelo Rio, em 1950, no PTB e em 1954 foi reeleito, quando chegou a tornar-se vice-líder do partido na Câmara Federal.

Em 1958, foi eleito vice-governador do estado do Rio (na época a eleição para governador e vice-governador se dava separadamente) pelo PSD e com a morte do então governador Roberto Silveira num acidente, em 1961, assumiu o Poder Executivo estadual. Em 1962, tentou ser eleito como senador, mas não obteve sucesso e resolveu se afastar da política para exercer outras atividades como procurador do Tribunal de Contas do Estado, advogado, jornalista e professor de direito administrativo.

No entanto, em 1978, resolveu voltar à política e foi eleito novamente deputado federal, desta vez pelo partido Movimento Democrático Brasileiro.

Na literatura, também deixou suas pegadas

Celso também se aventurou pela literatura com mais de dez livros publicados. Junto com a esposa Hilka Peçanha, fundou a Associação Filantrópica Educacional Hilka e Celso Peçanha, em Pé Pequeno, bairro de Santa Rosa, em Niterói.

Filho de Ruy Peçanha e Maria Crespo Peçanha, Celso Peçanha tem merecidas homenagens em diversas cidades de nosso estado, entre elas a estrada Governador Celso Peçanha em Niterói e o Teatro Celso Peçanha em Três Rios.

Dentre as obras de Celso, estão: A planície e o horizonte - memórias inacabadas, de 1997; Campos dos Goytacazes, de 1961; Nilo Peçanha e a revolução brasileira, de 1978; Brasil Zero Hora – Tensões e esperanças (discursos), de 1979; Diálogos com a verdade, de 1980; Liceu de Humanidades de Campos – Cem anos de comunhão (discurso na Câmara), de 1980; Bandeirantes e Pioneiros no Ensino Fluminense, de 1982; Mensagem Governo Celso Peçanha, de 1962; Para construir o futuro – (discursos e projetos), de 1984; De Santo Eduardo ao Parlamento, de 1984; O dia do Maçon (discurso pronunciado na Câmara), de 1985; Álcool, combustível que se planta, de 1979.

Foi professor do ensino médico em Valença, Niterói, Rio Bonito e Campos; corretor de imóveis e agente de investimentos; diretor da Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Econômicas de Teresópolis, de 1975 a 1978; delegado do Recenseamento, em 1940, no município de Valença e procurador do Tribunal de Contas Especial do Rio de Janeiro.

Folha da Manhã

6 comentários:

Anônimo disse...

OS VELHOS NÃO ENTRAM EM INTERNET, QUEM VAI LER ESSA NOTÍCIA??? SEUS CONTERRÂNEOS QUEREM SABER NOTÍCIA DE SANTO EDUARDO E REGIÃO, SEU CABEÇA DE MAMÃO!!!

L Werneck Santo Eduardo disse...

Os velhos têm educação, já você, pelo visto, deve ser mais um jovem estúpido.

L Werneck Santo Eduardo disse...

Todos os que lutaram por esta terra não estão mais aqui, muitos foram embora ou faleceram.
Os que estão vivos, que não estão mais aqui, querem saber de coisas daqui pra que? Pra falar mal? A maioria de nossos jovens saem daqui e não voltam, ganham dinheiro fora e não voltam pra Santo Eduardo, ou melhor, voltam na festa pra contar vantagem, dizendo que estão morando bem, tirando onda. Diferente de Santa Maria, onde os jovens gostam do lugar, investem lá, essa é a diferença.

Anônimo disse...

ENGANO SEU, QUEM SAIU DAÍ LEVOU SANTO EDUARDO NA LEMBRANÇA, NÃO VOLTAM POR CAUSA DA SITUAÇÃO DA VIDA E LEMBRANÇA DE DIAS DIFÍCEIS NO CORTE DE CANA, DÁ USINA FALIDA, E UM LUGAR QUE NÃO ANDA PRA FRENTE, VOCÊ PRESUME CONHECER AS PESSOAS DE SANTO EDUARDO, DEVE CONHECER OS BOYZINHOS E AS PATRICINHAS QUE TIRAVAM ONDA NA FESTA DE OUTUBRO, SANTO EDUARDO TEM MUITA HISTÓRIA DE FAMÍLIAS QUE SAIRAM DAÍ QUE VOCÊ NÃO CONHECE CABEÇA DE MAMÃO!!!

Rodrigo disse...

Boa matéria , é sempre ficar atualizado sobre tudo que acontece ou aconteceu em nossa região !

L Werneck Santo Eduardo disse...

Você não deve ser um leitor do meu blog, pois tenho, desde 2008, inúmeras postagens de assuntos daqui, de todos os tipos... Cabeça de mamão deve ser você, anônimo das 18:02.