sábado, 24 de setembro de 2011

Manifestação a favor da manutenção dos Royalties: Recados ríspidos e ato com jeito de manifestação política


Um final de tarde com recados para a presidenta Dilma, para o ex-presidente Lula, para alguns deputados, para o Ministro Édson Lobão e, principalmente, de ataques ao Governador Sérgio Cabral.

Antes de mais nada, vou dizer o que penso sobre a manutenção dos Royaties antes que os cabos eleitorais da prefeita, que por sinal eram a maioria  na Praça São Salvador, comecem a ficar bravos: não sou a favor que retirem bruscamente um direito pré-estabelecido de nenhum lugar, e sendo esse lugar o município onde resido, pior ainda. A discussão do Pré-sal é outra questão, muito mais complexa e que precisa de outra atenção, de outra visão, muito mais ampla, muito mais complexa e, com certeza, na minha opinião, o tema terá que ser discutido ao decorrer do tempo, conforme a exploração efetiva dos novos campos já tiver a todo vapor, é assim que eu penso. Retirar o que já é de direito de Campos e de outros municípios não é aceitável de maneira nenhuma, mas acredito que políticos de outras partes do Brasil estão vendo que toda essa quantia que é destinada para nós não está sendo totalmente revertida em benefício da nossa população, como a prefeita Rosinha insiste em dizer e como outros prefeitos anteriores a ela sempre sempre disseram. O que vemos é que existem algumas ações que beneficiam o povo mais pobre sim, como a passagem de 1 Real, o cheque cidadão, mas que têm mais jeito de obra eleitoreira do qualquer outra coisa. E tem mais, em Campos a velha mania de lançarem projetos com valores faraônicos,  como é o caso do Sambódromo, que foi orçado em quase 70 milhões de reais e desta mesma praça, a São Salvador, que na época do governo Arnaldo foi anunciada por 46 milhões de reais, continuam a chamar a atenção de outros lugares que tem recursos muito menores mas que conseguem erguer várias obras, com porte semelhante a essas mas com um custo aos cofres públicos muito menor. Aliás, nem que sejam pra fazer a mesma coisa, os outros prefeitos e governadores querem também colocar a mão nesta grana, isso que é a verdade e é isso que incomoda tanto os políticos desta cidade.

Campos continua suja, esburacada, mal cuidada e com vários problemas estruturais, e parece que nada faz mudar essa realidade, nem toda essa grana, é isso que observo e ouço falar por aí afora, e principalmente, ouço falar essas coisas de quem não é daqui, que diz que toda a vez que visita a cidade vê o progresso chegando sim, mas que a cidade continua muito mal cuidada.

A presidenta Dilma vai ter que vetar, disseram eles, num tom de ameaça!
Vamos ver as cenas do próximo capítulo, torcendo para que o bom senso prevaleça e que menos recursos sejam retirados de Campos.
No palanque, políticos de todas as esferas, partidos em solidariedade à causa dos royalties.
Praça com público muito menor que o ato anterior, que aconteceu em Março de 2010.

No ano passado, muito mais gente compareceu ao evento.

Faixa do SEPE Campos, pedindo transparência na aplicação dos Royalties.,

2 comentários:

Filipe Del Esposti disse...

Com 85% da produção nacional de petróleo o Rio, tem que ficar com medo de perder essa grana mesmo. Entretanto, afim de acabar com a fome e miséria deste país, ao invés da diminuição ou transferência da renda destinada à saúde e educação, este problema poderia ser resolvido (entre outras maneiras) com a repartição não igualitária (com maior captação dos municípios envolvidos na coleta do petróleo) entre todos os municípios brasileiros do dinheiro dos Royalties.

marcia sarlo moreira disse...

Infelizmente,para Santo Eduardo o dinheiro dos royalties não resolve pra nada.Por aqui ,entra e sai prefeito e nada acontece, só mesmo em época de eleição que
"eles" aparecem, prometem e nada fazem,portanto se pensarmos em nossa localidade nada vai mudar.