sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Bacellar aponta os preferidos do casal Garotinho


Durante as reuniões políticas em várias partes da cidade a prefeita Rosinha Garotinho (PR) e o deputado federal Anthony Garotinho (PR) reforçam a importância da vitória de vereadores que estejam comprometidos com os ideais do seu grupo político. O objetivo é eleger, no mínimo, 20 vereadores. E quem seriam os 20 preferidos da prefeita e do seu marido? Para o vereador Marcos Bacellar (PDT), que tem acompanhado as movimentações nos bastidores, é possível apontar quem são os “queridinhos” do casal Garotinho. Vale lembrar que na próxima legislatura a Câmara, que hoje tem 17 cadeiras, vai contar com 25 vereadores. Segundo Bacellar, que foi o mais votado em 2008 e não vai disputar a reeleição, dos 12 vereadores da bancada governista, seis estão recebendo uma atenção especial do grupo político liderado por Garotinho. — Vejo que Magal, Albertinho, Kellinho, Abdu Neme, Gil Vianna e Dona Penha têm recebido um apoio maior. Os outros, se quiserem se reeleger, terão que correr dobrado e abrir o olho. Quem bobear vai dançar — opina Bacellar. Sobre os candidatos que não estão na Câmara, a lista é maior. “Mauro Silva já é muito querido pelo casal. Se não bastasse isso, ele ainda tem ao seu lado um cara muito experiente em eleição. Trata-se do Sivaldo Abílio, que foi presidente da Campos Luz durante muito tempo. Também podemos citar Edson Batista, Paulo Hirano, Thiago Ferrugem, Linda Mara, Miguelito, Thiago Virgílio, Eduardo Crespo, Renatinho do Eldorado, Auxiliadora Freitas, Neném, Diego Dias, Genásio, Eduardo Crespo e o ex-prefeito Alexandre Mocaiber”, listou Bacellar, que fez questão de dar detalhes sobre alguns nomes. “Ferrugem e Linda Mara, são malas pesadas que eles estão tentando empurrar. Ele entra na conta de Clarissa e ela na conta de Rosinha. Mas a gente sabe que Garotinho é esperto e pode passar a perna e escolher capachos mais ligados a ele. O Eduardo Crespo também tem a simpatia de Rosinha. No caso de Miguelito o objetivo é atropelar o vereador Papinha. Já o ex-prefeito Mocaiber é a prova viva das voltas que esse mundo dá. Foi tão esculhambado por essa turma e hoje tá juntinho com o grupo cor de rosa”, disparou Bacellar. Para Bacellar, os gastos dessa eleição serão os maiores da história. “É uma eleição muito disputada. Não é brincadeira. Quem pensa em entrar vai precisar gastar muita sola de sapato e investir muito. Além disso, tem que abrir o olho porque tem muita gente que banca o amiguinho mas que na verdade tá querendo puxar o tapete”, esclareceu. Inflação na eleição — Em nota intitulada “Inflação Eleitoral”, a revista Somos Assim, informou recentemente que “o grande número de candidatos a vereador, mais de 650, inflacio-nou a praça de Campos. Quem antes cobrava R$ 50,00 por semana para segurar pau e placa de candidato nas esquinas da cidade, agora quer R$ 120,00 pela mesma função. Só para tomar conta da animada turma que segura o pau, o tomador quer R$ 350,00”. Candidatos a vereador com potencial financeiro poderão gastar cerca de R$ 4 milhões. (A.B.L. Fogo amigo esquenta o grupo governista? Como alguns candidatos a vereador estão recebendo uma atenção especial, o clima nos bastidores tem sido tenso e muitos governistas estariam se sentindo excluídos e fritados. Uma fonte ligada ao governo municipal informou que, em muitos casos, existe um fortalecimento de um nome para enfraquecer outro. Na maioria das vezes, quando governistas disputam votos em uma mesma localidade, os caciques da campanha estariam escolhendo um e deixando os outros sem muita estrutura para tocar a campanha. Porém, para o vereador Jorge Magal, que segundo Marcos Bacellar é um dos escolhidos, não existe essa história de favorecimento. — Não existe isso. Cada um tem o seu trabalho e, todos que fazem parte do grupo recebem apoio. Vai se sair melhor quem trabalhar mais — destacou Jorge Magal.

 Alexandre Bastos - Folha da Manhã

Nenhum comentário: