quinta-feira, 9 de junho de 2011

Governo do Estado anuncia aumento de 5,58% para bombeiros em julho

Sérgio Cabral cria Secretaria de Estado de Defesa Civil


 O governo do Estado anunciou, no início da tarde desta quinta-feira, que bombeiros, policiais militares, policiais civis e agentes penitenciários terão aumento de 5,58% em julho. A mensagem antecipando o reajuste de dezembro para o próximo mês já foi enviada para  a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).
Segundo o governo, o reajuste para essas categorias representa um esforço orçamentário que gera impacto de R$ 323 milhões no caixa do Estado. A medida atende a todos os 16.202 bombeiros da ativa, 5.018 aposentados e 1.592 pensionistas; a 39.775 ativos da Polícia Militar, 20.445 aposentados e 13.175 pensionistas; a 9.254 ativos da Polícia Civil, 5.232 aposentados e 9.688 pensionistas; e a 4.329 agentes penitenciários da ativa, 1.328 aposentados e 1.238 pensionistas.
O governo anuniou também a criação da Secretaria de Estado de Defesa Civil, tendo como secretário titular o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões.
Parlamentares visitam bombeiros presos
Parlamentares da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados visitaram os bombeiros presos no hospital da corporação e no quartel do Méier. O encontro ocorreu no início da tarde desta quinta-feira.
Mais tarde, os deputados Alessandro Molon (PT-RJ), Dr. Aluízio (PV-RJ), Mendonça Prado (DEM-SE) e Protógenes Queiroz (PC do B-SP) ainda realizam um encontro com líderes do movimento que estão sob custódia no Grupamento Especial Prisional em São Cristóvão. Na sequência, o destino  será o quartel de Charitas onde 430 dos 439 militares estão presos. O fim da agenda será na Alerj em um encontro com os manifestantes acampados nas escadarias.
Está previsto para ainda esta quinta-feira uma visita do presidente do Conselho Regional de Enfermagem, Pedro de Jesus, à primeira-tenente enfermeira Lucrécia Belo Fonseca, que está sob custódia no Méier - ela participou da invasão do quartel central.

Juíza nega relaxamento de prisão
A juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Auditoria da Justiça Militar do Rio, negou na noite de quarta-feira, o relaxamento da prisão dos 431 bombeiros que foram detidos no último sábado, após a invasão do Quartel-General da corporação. O pedido havia sido feito pela Defensoria Pública do Estado.

Na decisão, a juíza concluiu não haver qualquer nulidade no auto de prisão em flagrante. Segundo ela, “a custódia cautelar de todos os militares mostra-se imprescindível à garantia da ordem pública, por conveniência da instrução criminal e para a manutenção dos princípios da hierarquia e da disciplina militares, que se encontram flagrantemente ameaçados”.

Ainda de acordo com a juíza, ao invadir o Quartel-General, desrespeitar seus superiores e danificar o patrimônio público, subvertendo a ordem assegurada pela Constituição, e exigindo a intervenção da Polícia Militar para a retomada da unidade, os bombeiros extrapolaram, e muito, seu exercício do direito de lutar por melhores condições de vida pessoal e profissional.

Prisão em quartel de Charitas 

O quartel de Charitas onde estão presos 430 dos 439 bombeiros mais parece local de acolhimento de desabrigados. Bombeiros têm que caminhar sobre os colchonetes dos colegas, e até as traves do campo de futsal viraram varais para roupas e toalhas. Bombeiros se queixam que de dia o local é abafado e à noite, muito frio. Entre os presos, há militares que atuaram no resgate das vítimas do terremoto no Haiti, em 2010, como o cabo Ovídeo Cordeiro, 38. O movimento grevista — que reivindica reajuste do piso de R$ 950 para R$ 2 mil e vale-transporte — tem se espalhado pelas redes sociais e ganhado adesão nas ruas.
O Dia

Nenhum comentário: