sexta-feira, 10 de junho de 2011

Justiça manda soltar todos os 439 bombeiros presos

A Justiça concedeu, na madrugada desta sexta-feira, um habeas corpus que garante liberdade a todos os bombeiros presos. Os militares já começam a ser liberados dos locais onde estavam sob custódia.
O recurso foi pedido por parlamentares da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados e atendido pelo desembargador Cláudio Brandão.
"Convencido de que a manutenção da prisão não mais se justifica, defiro a liminar requerida e concedo liberdade provisória aos militares presos no episódio mencionado na petição inicial e que constam na relação", informa a decisão do desembargador.
Na quinta-feira os deputados Alessandro Molon (PT-RJ), Dr. Aluízio (PV-RJ) e Protógenes Queiroz (PC do B-SP) estiveram reunidos com os presos e com manifestantes na Alerj. Hoje eles irão aos quartéis para comunicar a decisão judicial.
"Nós estamos muito felizes (com a liberdade dos bombeiros). Eu e os deputados Protógenes Queiroz e Dr. Aluízio estamos contribuindo para o fim desta crise que estava deixando a nossa cidade em um estado complicado. Espero continuar contribuindo para um Rio e um Brasil melhores", disse o deputado Alessandro Molon à Rádio Band News. 
Nesta sexta-feira, policiais militares, que não quiseram se identificar, fizeram denúncias de que estão sendo impedidos de trabalhar caso demonstrem solidariedade ao movimento por libertação e melhores condições salariais ao Corpo de Bombeiros. O problema acontece especialmente no Batalhão de Choque.
Em solidariedade aos bombeiros, muitos policiais foram trabalhar com camisas vermelhas ou faixas da mesma cor colocadas nas fardas. De acordo com as denúncias, o coronel Rocha, do Batalhão de Choque teria impedido a saída destes PMs para o trabalho nas ruas.
"Fomos impedidos de sair do quartel pelo coronel Rocha, do Choque. Não pudemos sair pelo simples fato de estarmos de camisas ou acessórios vermelhos, indicando que apoiamos o movimento dos bombeiros. Cheguei às 8h e ainda estou aqui", disse um PM à Rádio Band News.
Parentes de policiais militares também fizeram denúncias de que os PMs não podem deixar os quartéis para trabalhar. Na quinta-feira, o comandante-geral da corporação, coronel Mário Sérgio, pediu que os militares evitassem colocar faixas vermelhas em solidariedade aos bombeiros.
A PM declarou que apenas pediu que os bombeiros não deixassem os quartéis com camisas ou faixas vermelhas e que os mesmos, aproximadamente 30, alegaram que não tinham outras blusas para vestir. A corporação informou que todos foram liberados.
Na quinta-feira, Mário Sérgio esteve no Batalhão de Choque e orientou a tropa a não ostentar fitas vermelhas distribuídas por bombeiros na farda ou nas viaturas como muitos têm feito.
Reajuste de 5,58% oferecido pelo governo
Pressionado pelo movimento dos bombeiros, o governo anunciou, na quinta-feira, a antecipação do reajuste de 5,58% nos salários da categoria, dos agentes penitenciários e policiais civis e militares. A medida representa R$ 78,18 no contracheque do soldado solteiro e sem filhos — vencimentos passam de R$ 1.187, 37 para R$ 1.265,55, já com as gratificações. E R$ 82,49 a mais se tiver dependentes — de R$ 1.414 para R$ 1.496,49. Os militares continuam irredutíveis: não há acordo sem a soltura dos 439 presos.
O reajuste estava parcelado em 1% ao mês até dezembro de 2014. A medida acumula o percentual previsto entre julho e dezembro. O novo salário começa a valer em julho e será pago em agosto. Até dezembro, o valor é o mesmo. A partir de janeiro, volta a incidir 1% sobre os vencimentos.

No quartel de Charitas, em Niterói, o aumento foi recebido com ironia pelos presos. Perfilados, mandaram recado ao governo: “Cidade maravilhosa, cheia de encantos mil, cidade maravilhosa, pior salário do Brasil!”.

Exonerados 22 comandantes

Ontem, 22 comandantes de quartéis do Corpo de Bombeiros foram substituídos. O comandante-geral, Sérgio Simões, afirma que a mudança não tem ligação com a crise: “Isso não tem nada a ver. É um critério pessoal que envolve duas questões: uma relacionada com o tempo que alguns comandantes já estavam nas suas unidades; e a outra, com a operacionalidade. Busquei quadros com afinidade maior com meu jeito de atuar”.
O Dia

2 comentários:

Edison Correa da Rocha disse...

ESTUPRADOR FICA SEM O PEDAÇO DA LINGUA
MULHER “SENTA O DENTE” NA LÍNGUA DO ESTUPRADOR.
Na madrugada do dia 05/06, 03 horas, Beatriz Peixoto Marques Maciel, Rua Rosalvo Bicudo, Espírito Santinho, Santa Maria, Campos/RJ, foi surpreendida por Ademilson Marinato Rocha que, por um basculante, entrou em sua casa e tentou estuprá-la. Ademilson agarrou Beatriz e, tentando tirar sua roupa, a jogou na cama. Beatriz estava quase perdendo as forças, quando Ademilson enfiou a língua em sua boca. Ela não
perdeu tempo, “sentou os dentes”, tirando um pedaço da língua do “safado” que fugiu, deixando para trás o pedaço da língua. Ainda bem que foi na língua! Os PMs do DPO de Santa Maria foram chamados e localizaram o “taradão” no HFM, sem um pedaço da língua. Ocorrência registrada na 134
fonte: rionf.com.br
E olha que eles são primos, que dirá se não fossem. Merecia ter perdido muito mais que só um pedaço da lingua.

edisonrocha.blogspot.com

Cleverson disse...

Obrigado Lenilson por divulgar essas informações que estão acontecendo com a minha corporação, na qual sirvo com muito orgulho. Toda população fluminense aderiu nossa causa, e está mostrando para o "excelentíssimo" governador Sergio Cabral que não somos irresponsáveis nem vândalos; pelo contrário, a população está dando esta resposta, somos queridos e respeitados, e indispensáveis nos serviços públicos.
Quem, por ventura, ler este comentário, entre no google e procure por: sos bombeiros#rio vermelho e veja os depoimentos de cinco artores globais sobre a nossa causa.
Obrigado à todos que nos apoiaram!
Obrigado!