quinta-feira, 19 de abril de 2012

Operação 'Lee Oswald' prende prefeito de Presidente Kennedy por desvio de R$ 50 milhões


28 pessoas foram presas. A quadrilha era formada pela sobrinha do prefeito, empresários, dois policiais militares e um integrante de partido político. A organização seria responsável por fraudes em licitações, superfaturamentos e desvio de verbas na cidade do litoral sul do Espírito Santo

Viatura da Polícia Federal - Foto: Letícia Gonçalves
O prefeito da cidade de Presidente Kennedy, no litoral Sul do Espírito Santo, foi preso pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (19) acusado de desviar cerca de R$ 50 milhões. A operação, batizada de Lee Oswald, cumpre 79 mandados judiciais, sendo 51 de busca e apreensão, além de 13 mandados de prisões preventivas e 15 de prisões temporárias. Todas as 28 pessoas já foram presas.
Durante o cumprimento dos mandados, a rua principal da Prefeitura de Presidente Kennedy chegou a ser interditada pela Polícia Federal. Funcionários não puderam entrar no prédio. O mesmo aconteceu na Secretaria de Educação do município.
A organização seria responsável por fraudes em licitações, superfaturamentos, desvio de verbas, além de pagamentos indevidos em contratos de serviços e compra de materiais no Espírito Santo. Os policiais federais trabalham com apoio da Controladoria Geral da União e do Ministério Público Estadual. 
De acordo com a Polícia Federal, a quadrilha era formada pela sobrinha do prefeito, que acumulava a chefia de três secretarias municipais, além do Procurador Geral do Município, integrantes da comissão de licitação, empresários e dois policiais militares, sendo um deles o Comandante da Guarda Municipal. Um membro da executiva estadual do partido político do prefeito também participava do esquema criminoso.
A operação é um aditamento as denúncias feitas pelo Ministério Público do Estado do Espírito Santo, decorrente das operações Moeda de Troca e Tsunami, originadas respectivamente em Santa Leopoldina e Fundão.

Dado do número e extensão dos elementos de prova colhidos, o relator da ação penal, desembargador Pedro Valls Feu Rosa, a pedido do Ministério Público Estadual, solicitou ao Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o envio ao Espírito Santo de uma força tarefa para auxiliar as investigações.

Licitações montadas

De acordo com informações da Polícia Federal, a investigação começou há seis meses e descobriu o prefeito de Presidente Kennedy, Reginaldo dos Santo Quinta, seria o líder da quadrilha. A grande quantidade de recursos municipais era desviada para os membros da quadrilha. As licitações eram montadas a partir de editais que restringiam a concorrência e eram direcionadas para grupos econômicos previamente escolhidos, que simulavam legalidade do processo. Foi identificado, até o momento, o desvio de cerca de R$ 50 milhões.

Crimes

Os envolvidos poderão responder pelos crimes de corrupção ativa e passiva, advocacia administrativa, prevaricação, peculato, falsidade ideológica, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, além de crimes específicos previsto na Lei de Licitações (lei 8.666/93).
O nome da operação:
Lee Oswald foi considerado responsável pelo assassinato do Presidente norte americano John Kennedy. A ação policial desta quinta-feira (19) possibilita o fim de desvio de recursos públicos na cidade.
O município de Presidente Kennedy
A cidade é a campeã de créditos em royalties do estado, com quase 20% de todo o valor recebido pelo Espírito Santo, o que permite que o PIB per capita alcance padrões superiores aos de países desenvolvidos. Entretanto, o município é o lanterna do ranking educacional no estado e apresenta o 4º pior índice de desenvolvimento humano entre as cidades capixabas, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PUND.
Gazeta

2 comentários:

fabinho pagode disse...

E agora, quem assume a prefeitura de presidente kenedy?
Normalmente quem assume a prefeitura é o vice-prefeito, no caso Edson Nogueira, eu estou certo ou tem outro nome para o cargo, tomara que não, e que Edinho assuma e faça um bom final de governo.
Mais uma vez, parabens a policia federal e ministerio publico.
O problema é que cabe recurso pra todo lado, e daqui ha pouco o prefeito volta e ninguem se lembrará do ocorrido, porque a nossa justiça é um LIXO, e nada vai acontecer nem em Kenedy, nem em São Francisco e nem no caso Carlinhos Cachoeira, infelismente é isso que vai acontecer.

Anônimo disse...

realmente não se tem justiça é nego que deve e não paga,é tudo de ruim e a culpa é dos pilantras.
ou seja do ser humano.