sábado, 27 de abril de 2013

PCH promove reunião de trabalho em Santo Eduardo mas recebe visitantes irritados

Era pra ser apenas mais uma reunião como tantas outras que aconteceram na localidade e na região para anunciar e divulgar as ações da Empresa PCH I, que é a responsável pela construção e administra o funcionamento da Hidrelétrica Pedra do Garrafão. No entanto, além de algumas novidades expostas na palestra, como as demarcações em todo o reservatório de áreas específicas e suas diversas utilizações, os representantes da empresa tiveram que ouvir nesta noite de sexta-feira (26/04) queixas, principalmente dos representantes do lado capixaba que vieram para a reunião que se mostraram preocupados e desesperançosos com a falta de soluções das questões por eles apontadas, como a constante degradação do leito do rio, principalmente apos a barragem  e a mortandade dos peixes, que segundo Ronaldo Valadão, representante da Vila de Pescadores da Limeira, continua acontecendo periodicamente, fato que já levou a PCH a ser acionada pelo Ibama do Espírito Santo e pagar uma multa milionária no final de 2009. Outro que se queixou bastante da Empresa foi o representante da Secretaria de Meio Ambiente de Mimoso, Marcos Antônio, denunciando várias irregularidades, se mostrando também muito irritado com as questões mal resolvidas e que, segundo ele estão se agravando cada vez mais.

A boa notícia é que foi anunciado na reunião que a verba para adequação do Sítio Histórico da Vila da Rainha foi depositada pela PCH I  ao IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) mas que, ao meu ver, precisa sofrer uma pressão política para que seja efetivamente colocada em ação, porque não há mais no local nenhum tipo de manutenção do sítio histórico, principalmente da área do moinho que se encontra abandonado literalmente.

Representante da Secretaria de Meio Ambiente de Mimoso do Sul, Marcos Rogério Vivas Acha, em depoimento, denunciou várias irregularidades que ocorrem  nas margens do lago da hidrelétrica.


Representante da Vila de Pescadores da Limeira, Ronaldo Valadão, se mostrou  desesperançoso com as promessas apresentadas e disse que não há como os pescadores sobreviverem também com nenhuma atividade pesqueira dentro do lago da hidrelétrica.


Na sede da Associação, convidados ouviram as explicações do palestrante da  PCH.
Animação sobre a Vila da Rainha produzido pela PCH

Estiveram presentes também na reunião, o superintendente da secretaria de governo de Campos, o senhor Alcimar Ferreira, o representante secretário executivo do Conselho Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo, o senhor Carlos Ronald Macabu Arêas e o supervisor de serviços de Santo Eduardo, Paulo Beraldi, que se mostraram atentos e prometeram maior participação da prefeitura de Campos nas ações de fiscalização e também numa maior parceria e integração com a Empresa para adequação de projetos existentes e que possam criar benefícios diretos para a população do 13º distrito que até hoje nada recebeu de efetivo como foi anunciado antes da construção da hidrelétrica, como adequação de cursos profissionalizantes ou coisas do gênero.

Na quinta-feira, um dia antes desta reunião, estiveram na Hidrelétrica Pedra do Garrafão o Superintendente da Secretaria de Governo, Alcimar Ferreira e o fiscal da Secretaria do Meio Ambiente de Campos, Roger Rangel Coutinho que foram recebidos pelo gestor da hidrelétrica, André Luiz Martinussi. Nesta visita, detalhes do funcionamento da mesma e também outras questões relativas aos projetos que poderão ainda ser desenvolvidos na região do lago e que podem beneficiar a população do distrito de Santo Eduardo foram discutidos, como a construção de uma estrada que dá acesso ao local pois a que existe hoje está em péssimas condições.
Aspecto da Barragem da Hidrelétrica Pedra do Garrafão.


Canal Adutor: rede colocada na entrada do canal para conter entrada de peixes. Será que funciona?

O Superintendente da Secretaria de Governo, Alcimar Ferreira e o fiscal da Secretaria do Meio Ambiente de Campos, Roger Rangel Coutinho foram recebidos pelo gestor da hidrelétrica, André Luiz Martinussi.


Na reunião, explicações dos projetos e ações que a empresa adota e pretende realizar nos próximos meses.  
Aspecto do leito do rio, após a barragem.



O superintendente da Secretaria de governo de Campos, Alcimar Ferreira, disse que o município cobrará da Empresa ações efetivas para que sejam respeitados os compromissos da mesma com a população de Santo Eduardo. Antes tarde do que nunca!

Supervisor de Santo Eduardo, Paulo Beraldi, informou que a Empresa prometeu adotar cursos na localidade mas que até hoje nada foi feito.

Representante da Secretaria de Meio Ambiente, Carlos Ronald Macabu Arêas, disse que a secretaria fará parceria e  acompanhamento dos procedimentos da Empresa. 

Um comentário:

Anônimo disse...

Espero que dessa vez saia alguma coisa do papel. As pessoas na época se iludiram com os empregos temporários. Com isso, nas reuniões para as questões de interesse da população, os moradores não compareciam.
Marcos Cabral de Oliveira.