terça-feira, 11 de maio de 2010

Secretário de Agricultura visita Santo Eduardo

Secretário Carlos Frederico, explicando as ações da ADR1 para as autoridades de Santo Eduardo.


O Secretário de Agricultura de Campos, Carlos Frederico Paes, esteve nesta noite de segunda-feira se reunindo com lideranças de Santo Eduardo para explicar as ações da recém-criada ADR 1 (Agência de Desenvolvimento Rural). Segundo o secretário, estarão disponíveis para a nossa região a partir do dia 26/05 (dia do pregão de aquisição de todos os maquinários para as ADRs), 3 tratores e uma retroescavadeira especificamente para o atendimento dos produtores rurais de toda área dos distritos Santo Eduardo e Santa Maria. Carlos, na oportunidade fez questão de deixar bem claro para os presentes que para as agências se desenvolverem será preciso fortalecer as Associações de produtores locais, e afirmou que é desejo da prefeita Rosinha que essas máquinas realmente sirvam aos que precisam, por isso esta ideia de descentralização das ações da Secretaria foi bem aceita e implantada.


Desconfianças:

Bom, com todo o histórico de desprestígio na área de Agricultura, que diga-se de passagem, sempre teve um orçamento muito baixo em Campos e sempre deixou os produtores desesperançosos para um apoio maior, já é esperado que paire no ar uma certa desconfiança para que este projeto avance, principalmente, porque foi feita uma eleição do presidente desta ADR I, por 3 Associações de produtores, das localidades de Posse do Meio, Casinhos e Espírito Santinho, que elegeram no caso, o proprietário rural Fabrício Mota, e que curiosamente, ontem não esteve na reunião para explanar para todos as suas ideias, ou seja, não foi cumprimentar nem o seu primo, o secretário Carlos Frederico e nem tão pouco as autoridades que estavam na sede da Amprapase. Sinceramente, acho que ele não deve ter vindo porque ele sabia que não tinha nenhum produtor rural na reunião; e não tinha mesmo.

O que ficou claro: As associações de moradores de Santo Eduardo, Santa Maria e Espírito Santinho não estão aptas a participarem desta Agência porque os seus atuais estatutos não correspondem ao que as ADRs propõem, que visam somente o atendimento direcionado aos produtores rurais, e não os demais segmentos da sociedade, como é o caso da Amprapase.

A questão seria, qual o caminho seguir:
continuar servindo a sociedade de várias formas, ou seguir apenas os anseios dos produtores rurais?

O certo é que precisamos sair do marasmo!




Um comentário:

Anônimo disse...

Não pode servir o diabo e a Deus, ao mesmo tempo! Concorda!
Não pode colocar a mão no céu, se não alcançar!
Quem não tem bumbum, não senta!
Cada um, que faça sua parte!
Traduzindo:
Cada macaco no seu galho.