quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Gargalos na infraestrutura podem levar empresas do ES para superporto de Açu

Os gargalos na área de infraestrutura dos portos capixabas devem reativar antigas relações entre o sul do Espírito Santo e Rio de Janeiro. Grupos de empresários do setor de rochas ornamentais devem alterar a rota da produção que sai do polo de Cachoeiro de Itapemirim. Com o esgotamento da capacidade do porto de Vitória, uma alternativa é o superporto de Açu, comandado pela LLX Logística, empresa do grupo Eike Batista, que começa suas atividades a partir do próximo ano.

As conversas entre os representantes do setor e do empreendimento portuário estão avançadas, inclusive com o agendamento de uma visita técnica de um grupo de empresários locais às obras do novo superporto. Em recente evento no Estado, o gerente executivo da LLX, Ronaldo Zani, confirmou o interesse do empresariado local em se instalar ou movimentar cargas pelo novo complexo portuário.

Uma das principais vantagens da utilização do porto construído no município de São João da Barra é a proximidade com o polo de rochas ornamentais. Enquanto a distância entre Cachoeiro e Vitória é de 140 quilômetros, o polo está distante 120 quilômetros do superporto no estado no Rio de Janeiro. Para isso, é cogitada até mesmo a recuperação de linhas férreas – que atualmente estão fora de uso – para facilitar o deslocamento das rochas.

Outra vantagem comparativa é a infraestrutura do futuro empreendimento, pronto para receber os maiores navios de carga do mundo. Comparado com o porto de Tubarão, em Vitória, o porto fluminense tem um calado (profundidade) quatro metros maior – 25 metros ao todo. O complexo prevê até a construção da uma cidade sustentável para abrigar a mão de obra que deve ser deslocada até a região. “O complexo terá 90 mil quilômetros quadrados, 11 quilômetros de cais com capacidade para receber 40 navios de grande porte”, explicou Zani à reportagem do Jornal do Brasil.

A programação da visita dos empresários será organizada dentro do Grupo de Aconselhamento Empresarial do ES, que reúne cerca de 50 grandes empresários locais. A coordenação da visita ficará a cargo do economista Clóvis Vieira, da Vieira & Rosenberg Consultores Associados, e terá a participação de representantes da Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes).

Nerter Samora - seculodiario.com

Obs: Há realmente informações sobre a reativação da linha do litoral, inclusive com a abertura das algumas  Estações Ferroviárias, entre elas, a Estação de Santo Eduardo.

Nenhum comentário: