sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Ibope: Dilma lidera com 52% das intenções de voto; Serra tem 39%

A presidenciável Dilma Rousseff (PT) lidera a corrida pelo Palácio do Planalto com 52% das intenções de voto, contra 39% de seu rival, José Serra (PSDB), segundo pesquisa divulgada na noite desta quinta-feira (28) pelo Ibope.
Se considerados apenas os votos válidos, a petista tem a preferência de 57% do eleitorado, ante 43% do tucano - uma vantagem de 14 pontos. Na sondagem anterior, a ex-ministra da Casa Civil tinha 56% e Serra, 44%.

Votos brancos e nulos somaram 5%, enquanto 4% dos entrevistados mostraram-se indecisos. Para 82% dos eleitores o voto já está definido, enquanto 13% disseram que ainda podem mudar a escolha. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

O instituto ouviu 3010 pessoas entre os dias 25 e 28 de outubro, e a pesquisa, encomendada pela Rede Globo e pelo jornal O Estado de São Paulo, está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 37.596/2010.



UOL

2 comentários:

Washington Luiz disse...

Será que a missa de domingo irá influenciar nessas pesquisas. Após uma declaração do Papa Bento XVI que repercurtiu em toda imprensa nacional, sobre a descriminalização do aborto. Acredito que a diferença será em torno de 2 a 3% e não sei quem será eleito. Com certeza teremos uma das eleições presidenciais mais concorridas dos últimos anos.
Um abraço a todos

Blog do L. Werneck disse...

Washington, existe uma grande contradição acontecendo com os fiéis católicos em todo o mundo. Seria mais ou menos assim: o Papa proíbe o uso da camisinha e o uso da pílula, certo? e isso é amplamente divulgado na igreja; mas você sabe, a maioria desobedece a ordem do Santo Padre sem constrangimento algum. Ou seja, na prática, a vida pessoal dos seres humanos, nas decisões íntimas, assim como o direito ao voto secreto, valem muito mais do que qualquer preceito tido como "o certo, o correto, vindo dos chefes religiosos, ainda mais quando temos a maioria que apenas se diz católico, mas na verdade não pratica a religião aqui no nosso país. Na prática, meu caro, a Igreja influencia muito pouco nessa hora, pois também está cheia de contradições e hipocrisias, pois o que não faltam são pessoas entrando na fila da comunhão, que tomam estes medicamentos para não terem filhos, usam camisinha, sendo ou não casadas, e algumas, inclusive, já fizeram aborto anteriormente e hoje se sentem à vontade e "tranquilas" com as suas consciências, pois a própria igreja cria mecanismos e penitências para se obter o perdão de Deus até para este "pecadão" que seria o Aborto.
Bom, sem falar nos fiéis que ficam no altar junto com o clero, numa boa, fazendo e praticando o sincretismo religioso que também o Papa condena.
Acredito que as mentiras divulgadas e endereçadas a Dilma não colaram o suficiente, por isso acredito que no dia 31 é 13.