terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Ficar exposto à luz antes de dormir prejudica o sono e a saúde

A iluminação baixa pode influenciar a pressão arterial e metabolização da glicose


Um novo estudo da Harvard Medical School, em Boston, mostrou que ficar exposto às lâmpadas acesas antes de dormir pode afetar a qualidade do sono, pressão arterial e diabetes. 

De acordo com a pesquisa, publicada no Jornal Endocrine Society's of Clinical Endocrinology & Metabolism (JCEM), a exposição à luz elétrica, entre o anoitecer e o deitar, suprime fortemente os níveis de melatonina e pode afetar os processos fisiológicos regulados por melatonina, tais como sonolência, termoregulação, pressão arterial e metabolizar a glicose. 

A melatonina é um hormônio produzido durante a noite pela glândula pineal, localizada no cérebro. Além de seu papel na regulação do ciclo vigília-sono, a melatonina tem se mostrado boa para reduzir a pressão arterial e temperatura corporal e também tem sido explorada como uma opção de tratamento para a hipertensão, insônia e câncer. 

Os pesquisadores avaliaram 116 voluntários saudáveis com idades entre 18 e 30 anos que foram expostos à luz ambiente ou luz fraca nas oito horas anteriores a hora de dormir, durante cinco dias consecutivos. Um cateter venoso foi inserido no antebraço dos participantes do estudo para a coleta contínua de plasma de sangue a cada 30 minutos para medições de melatonina. 

Os resultados mostraram que a exposição à luz ambiente antes de deitar fazia a melatonina ter uma duração encurtada em cerca de 90 minutos. Além disso, a exposição à luz ambiente durante as horas normais de sono fazem a melatonina ficar mais de 50 % suprimida. 

Mais pesquisas são ainda necessárias tanto para fundamentar a supressão de melatonina como um importante fator de risco para câncer de mama como para determinar os mecanismos pelos quais a melatonina regula o metabolismo da glicose. 
Quatro dicas para dormir bem 

1. Livro chato 

Boa para o corpo e para a mente, a leitura ajuda a melhorar a insônia, porém, devem-se tomar alguns cuidados na hora de escolher o livro de cabeceira: "Na maioria dos casos, a leitura ajuda a pegar no sono, mas recomendamos livros menos complexos e interessantes. Prefira ler coisas que não chamem sua atenção ao ponto de despertar sua curiosidade, senão, o efeito será contrário", explica o neurologista Shigueo Yonekura, do Instituto de Medicina e Sono.

2. Chá tem que ser morninho 

Os chás, que não são à base de cafeína, em geral, ajudam a relaxar e por isso são bons indutores do sono, mas o alerta fica para a temperatura da bebida: "Um chá de camomila ou erva-doce, por exemplo, faz bem porque relaxa, só que as altas temperaturas elevam a temperatura corporal e isso também pode causar insônia. Por isso, prefira chás gelados ou em temperatura ambiente e evite bebidas muito quentes antes de dormir", diz o neurologista.

3. Hora do leitinho 

Shigueo Yonekura explica que o leite é rico em triptofano, um aminoácido que essencial para a síntese de serotonina, o hormônio do bem-estar. Por isso, consumir o alimento relaxa e garante uma noite tranquila.

4. Hora da malhação 

Praticar exercícios físicos sem dúvida ajuda a amenizar a insônia, porém, Shigueo explica que existem restrições ao estilo e ao horário do treino: "É muito saudável e eficaz praticar exercícios físicos, só que os treinos devem ocorrer pelo menos duas horas antes do horário de ir dormir e não podem ser competitivos, senão, despertarão seu corpo e sua mente", explica o neurologista. "O ideal é praticar esportes mais leves, caso seja difícil praticá-los duas horas antes de dormir", continua.  

Minha Vida

Nenhum comentário: